Categorias
Críticas GeekView

Crítica | Livro: O Despertar da Fênix – Marlon Souza

O Despertar da Fênix é o primeiro livro d’As Crônicas de Elf Regnum, escrito por Marlon Souza. Marlon é conhecido nosso por causa dos eventos que ele organiza com uma galera, o LiteraCaxias. Comprei o livro dele em uma edição do Litera, e já aproveitei pra pegar um autógrafo e material promocional, o mapa de Elf Regnum e marcador de páginas.

A fênix irá despertar…

Uma fada lança uma profecia sobre o futuro de toda Elf Regnum. Sassas tem uma vida perfeita, e de um momento para outro toda sua inocência e esperança são perdidas. Em uma trama para usurpar o trono do rei, Eve se alia a ogros e reúne um grupo de elfos para marcharem até o Palácio Real, a fim de se tornar o novo Rei. Natan é príncipe e único herdeiro de Elf Regnum. Porém, presenciando as grandes proporções que uma súbita batalha está tomando, é obrigado a fugir junto de sua mãe. Mas, a fase mais importante de sua vida chegou, a maioridade élfica, onde seus talentos de manipulação começam a aparecer.

Sendo perseguido por elfos e ogros, precisa lutar pela sua vida. Até que algo surpreendente acontece e ele recebe o poder para revidar.

Eu sou apaixonada por fantasia. Amo a mistura do real com mitos e a áurea mágica que esse tipo de ficção traz e Marlon se saiu muito bem nessa conjunção. A história dele é muito concisa, e muito bem amarrada. Um exemplo são os nomes dos personagens, todos são palíndromos, conferindo uma característica única à obra e nomes belos e diferentes. O livro traz aspectos familiares, como a divisão por tribos de elementos da natureza e personagens angustiados por viverem à sombra de outros, tornando-os de fácil identificação e coerentes.

O trabalho de arte do livro é belíssimo, cada parte da capa, até o mapa do reino. De repente só caberia uma nova revisão por parte da editora. No mais, indico muito a leitura de O Despertar da Fênix. Sem pressão, Marlon, mas pode mandar o próximo! Hehe.

Categorias
Análises

Análise | Todo Dia: Sobre amar alguém em sua essência

Estreia nos cinemas

Todo Dia demorou a chegar, mas estreou nos cinemas brasileiros essa semana. O filme é baseado no livro de David Levithan, que devo admitir que não li, mas eis então um pouco mais sobre o filme!

Resultado de imagem para todo dia filme

Todo Dia conta a história de A, alguém que todos os dias acorda em um corpo diferente. Certo dia, A acorda no corpo de Justin, namorado de Rhiannon, e se encanta por ela. Nos próximos dias, em corpos diferentes, tenta se aproximar da menina. Ao contar sua situação para ela, após uma certa relutância (porque né…) em acreditar na veracidade da história, Rhiannon passa a conviver mais com A e se apaixona também.

O elenco traz nomes pouco conhecidos, mas entre eles figura Debby Ryan (atriz da Disney que protagonizará uma série na Netflix). Debby interpreta Jolene, irmã da personagem principal e aproveito este adendo para aplaudir a escolha de nomes pelo autor. Rhiannon nomeia uma música de Fleetwood Mac enquanto Jolene é o título de uma já clássica canção de Dolly Parton.

Resultado de imagem para todo dia filme

Mensagens

A é quase uma substância etérea. Ele mesmo não sabe se é homem ou mulher, já que habita diversos corpos. Por isso, Todo Dia passou uma mensagem, que na verdade se estende para as relações humanas, sobre a importância de se respeitar e aceitar alguém em sua essência, independente de aparências, orientação sexual, limitações, gênero ou etnia.

No quesito relações de afetos, há uma moral da história também, de forma geral. Rhiannon nos mostra, através de seus pais, que para fazer uma relação dar certo (e aqui pode ser amorosa ou mesmo de amizade) é preciso esforço e comprometimento das partes para que se dê certo. Como a protagonista aprende, não é só porque alguém já não é mais o mesmo (a mudança é uma constante) que não se possa adaptar o convívio, pois muitas vezes, e sem perceber, nós mudamos também.

Imagem relacionada

Uma coisa que me chamou atenção na história é a presença de uma personagem feminina principal mais decidida, que não liga para o que dizem sobre ela (chegando inclusive a ser chamada de “vadia”), mas que busca sua felicidade, que no caso, ela acredita que seja com A. Esta característica, às vezes acompanhada de uma leve inconsequência, tem se tornado mais frequente em filmes adolescentes de romance, mas isso já é assunto para outra matéria.

Como falei acima, não li este livro de Levithan. Mas, se você leu e a temática te interessa, sugiro também o livro Lúcida, de Adrienne Stoltz e Ron Bass (roteirista de O Casamento do meu Melhor Amigo).

Sloane é uma aluna nota 10, com uma grande e amorosa família. Maggie vive uma existência glamourosa e independente, como aspirante a atriz em Nova York. As duas não poderiam ser mais diferentes. A não ser por um pequeno detalhe, algo que não têm coragem de revelar a ninguém. À noite, cada uma sonha que é a outra. Os sonhos são tão vívidos que as garotas sentem e experimentam o que a outra está passando naquele momento. Seriam as duas reais? Uma delas estaria mentalmente instável e imaginando a outra? Seriam ambas a mesma pessoa? Qual delas é real?

Categorias
GeekSpace

Entrevista | Heitor V. Serpa, autor do livro: Aleros

1 – Aleros foi um projeto que surgiu no NaNoWriMo. Você já tinha em mente a trama e o universo da história ou foi algo que surgiu durante a participação do desafio?

Eu tinha em mente o universo, trabalho o Mundo-Prisão desde os 17 anos. Mas, pra trama de meu primeiro livro, eu planejei algo totalmente diferente. Era uma história grande sobre Thay, uma moça que usava as habilidades de seu clã ancestral para viver de roubos em grandes residências. No passado ela foi
uma duelista de renome, mas sua ambição a levou longe demais, e um dia ela sofreu uma derrota que a levou à humilhação e expulsão daquele clã… por isso, entre um furto e outro, ainda estava em busca de algo que pudesse lhe redimir com a família. Essa história ficou travada por quase um ano, e com a proximidade do NaNoWriMo 2015, vi uma oportunidade de retomá-la. Tive um problema, infelizmente: o roteiro para Thay exigiria muito mais do que as 50.000 palavras do desafio. Foi daí que resolvi fazer um Spin-Off sobre Aleros, o homem que a venceu no passado e, graças a isso, ascendeu para um nível histórico de glória entre os lutadores da região. A ideia era mostrar “o outro lado da moeda”, mas a história escalou para além de uma retrospectiva: o vilão de uma narrativa virou o protagonista de outra. Aleros é realmente muito bom em roubar os holofotes, e ele busca se perdoar por isso…

2 – Todo autor se espelha em alguém, acredito que aqueles que escrevem fantasia e/ou terror muitas das vezes até se considerem pupilos de  autores clássicos do gênero. Que influências você considera ter na sua escrita?

Eu diria que tenho, além dos principais titulares de fantasia e ficção científica (Tolkien, Lewis, Gibson, Orwell, Heinlein, Poe, Philip K. Dick, Stephen King — especialmente a série “A Torre Negra” —, Patrick Rothfuss, Bernard Cornwell, Philip Reeve, Licia Troisi, etc),  uma influência forte de autores nacionais que inseriram crítica social através de metáforas nas suas obras, como Aluísio Azevedo. Sua criatividade ao transformar um cortiço em organismo vivo e, através dele, denunciar a desigualdade social e degradação humana, é um exemplo de perspectiva fantástica  para mim: nenhuma casa “abre os olhos” na vida real… Também posso citar, além do aspecto crítico, o suspense psicológico criado por Graciliano Ramos: aprendi muito lendo a obra dele, em especial com “Angústia”. Mas a minha principal influência dentre os nacionais foi Lima Barreto: sabia que tem elementos de fantasia em suas crônicas sobre o desmonte do Morro do Castelo? Minha monografia inteira foi sobre elas! Uma crônica, em especial, aborda uma sessão espírita na qual se revela que o engenheiro Paulo de Frontin é a segunda encarnação do Marquês de Pombal. E nos Bruzundangas, existe um conto peculiar sobre uma troca de corpos entre um nobre e um cocheiro, feita pelo que parecia o Diabo… Além da própria Bruzundanga ser um país fictício, com objetivo puro e simples: expôr o que havia de pior na nação de sua época através do escárnio, com o presidente “Manda-Chuva” e a justiça “Chicana”. Essas e outras ousadias fizeram dele uma “persona non grata”; infelizmente, ele precisou falecer jovem, consumido pelo álcool e depressão, para considerarem-no como o gênio à frente do tempo que era. Admiro muito sua persistência e coragem.

 

3 – Será possível vermos uma continuação ou quem sabe um Spin-Off de Aleros em breve?

Tenho um Spin-Off em desenvolvimento sobre Luna, a namorada atual de Aleros na história. Além do conto (que está dando um trabalho absurdo para encontrar as vozes corretas), tenho um ensaio fotográfico completo da personagem, que pretendo liberar assim que a história estiver disponível na Amazon. Mas busco escrever Luna de maneira que alguém que nunca leu Aleros possa compreender e se divertir. Meu objetivo principal com o Mundo-Prisão é este: fugir da “síndrome de trilogias” que abate os autores de fantasia, criando narrativas que sejam fechadas dentro de si e ao mesmo tempo possuam conexões e referências em comum. Algo mais para Castle Rock do que Westeros.

p.s: não descarto a possibilidade de escrever “Aleros: volume dois”, viu? Se os leitores quiserem, pode ocorrer uma exceção no meio da regra do Mundo-Prisão 😉

 

4 – Ao concluir o desafio do NaNoWriMo, você já estava satisfeito com a história e tinha em mente procurar uma editora para publicá-la, ou ela ainda passou por um processo de adequação?

O objetivo do NaNoWriMo é conseguir o primeiro “draft”. O trabalho de verdade vem depois, é o que dizem os participantes… E com Aleros não foi diferente. Eu o encerrei em um mês, mas as revisões/reescritas levaram três anos. Cenas inteiras foram deletadas, outras foram estendidas e adaptadas. Mesmo depois de minha história encontrar uma casa na Editora Skull, ainda teve mais um processo de revisão geral. Acredito que foi um tempo saudável, necessário para o amadurecimento da história. Estou muito mais satisfeito com o Aleros de hoje do que aquele de 2015.

Ver a imagem de origem

5 – É comum hoje em dia que autores façam também pesquisas nas plataformas audiovisuais, qual a importância  de séries e filmes como Roma, Gladiador e Spartacus entre outras, para a ambientação de Aleros?

Essas séries são importantes mais para compreender a interpretação popular do período, com todos aqueles arquétipos, do que pelo valor histórico em si. Para Aleros, considerei mais importantes os filmes e séries de ação/artes marciais, dos mais fantasiosos (Ninja Assassino) até os com uma pegada mais funcional (The Raid, Oldboy, Warrior). Também assisti a muitos vídeos no Youtube a respeito de Artes Marciais Históricas Europeias (HEMA, em inglês). A discussão promovida por estes canais é cuidadosa e pertinente, e em muitos casos vai para além do medieval europeu. Para quem entende inglês, recomendo muito que assistam ao Skallagrim (responsável pelo meme “throw the pommel”), Metatron (um italiano poliglota, fez documentários incríveis sobre Roma e o Período Sengoku no Japão) e ao Shadiversity (este tem uma preocupação maior em aproximar a fantasia da realidade, analisando o quão verossímeis são as representações de obras famosas e propondo alternativas para quem deseja escapar dos clichês).

 

Categorias
Listas

10 livros nacionais publicados em 2017 para ler em 2018

Com 2017 chegando ao fim, é hora de retrospectiva! Nesta matéria, fizemos uma lista de autores nacionais, de diversos gêneros literários e independentes ou publicados por editoras menores, para conhecer em 2018. O processo criativo de conceber e o prático, de publicar livros não é nada fácil, e é por isso que queremos divulgar esses trabalhos. Tendo uma cultura cada vez mais globalizada, é importante também dar valor à produção nacional. Pensando desta forma, listamos aqui 10 livros lançados neste ano de 2017 que merecem sua atenção.

Quando o mal tem um nome

Quando o Mal Tem um Nome –  Glau Kemp

Gênero: Terror

Sinopse: “Sinto medo. O tipo de medo que persegue até a presença de outras pessoas. Segue até a luz e entra nas cobertas. Não está debaixo da cama ou dentro armário. Está em minha pele e tem um nome. Não pergunte. Não descubra. Nunca saiba o nome do seu medo, ou irá chamá-lo… Seus lábios podem estar selados, mas sua mente repetirá: Donavan… Donavan… Donavan.”

Na Aparecida dos anos 70, uma cidade erguida no centro de um milagre, conhecemos a história de Marta e sua filha Clara. De sua terra cultivada por fé a malignidade cresce no coração de uma mãe devota. As orações que a padroeira não atende são feitas agora para eles: anjos caídos. Ela não deveria saber o nome do demônio que atendeu sua prece, e a abominação despertada é tão grande que todos vão pagar pelo seu pecado. O mal só precisava que alguém o chamasse pelo nome e agora está entre nós.
“Faça uma oração antes de dormir e deixe a luz acesa. Se vir a fé em seus olhos, talvez vá embora. Mas ele virá”
Compre aqui.

 

 

 

Existe amor no carnaval

Existe Amor no Carnaval –  Mariana Balbino

Gênero: Juvenil

Editora: Multifoco

Sinopse: Pedi minha cerveja e fingi que ele não existia. Eu não era muito boa no jogo de ignorar, sou ariana, meu anjo, se não for pra resolver no grito, é melhor terminar!

Honestamente, eu estava maravilhosa, não sabia o que tinha na água de Toronto que fazia o meu cabelo ficar incrível. O vestido azul caía perfeitamente em meu corpo, a trança cruzava meus cabelos caindo por cima dos cachos soltos. Eu usava um batom rosa e meus cílios estavam tão volumosos que colocavam qualquer participante do RuPaul’s Drag Race no chinelo.

Quantas vezes você já se apaixonou? Quantas vezes você acreditou que aquele cara era o certo? E se a vida fosse justa? Arianos teriam o direito de amar?

As pessoas falam que nós somos intensos, impulsivos e, às vezes, irritantes. Mas eu me acho muito controlada, embora eu queira bater em algumas pessoas (tudo bem, muitas pessoas).

O problema é que todo mundo me tira do sério, eu gosto de fazer as coisas do meu jeito porque do meu jeito é o certo.

Compre aqui.

 

 

 

A vila dos pecados

A Vila dos Pecados – Soraya Abuchaim

Gênero: Suspense

Editora: Coerência

Sinopse: Final do século XIX. Enquanto o mundo passa por transformações importantes, existe uma vila inóspita, que vive à margem da civilização e que tem as suas próprias e estranhas leis.

Lendas escuras a rondam e histórias macabras sobre Ponta Poente povoam o imaginário popular.

Quando o padre Alfonso Anes, um exemplo vivo de amor e resignação, chega à vila para substituir o seu antecessor, depara-se com segredos que o farão duvidar da própria sanidade, e uma onda de mortes trará o caos para aquele lugar ermo.

Quem estará a salvo? Serão estes segredos o fim de quem os esconde? O que esse universo tenebroso revelará para o mundo?

Um suspense sinistro, que envolverá completamente o leitor e o levará a compartilhar dos segredos da Vila dos Pecados.

Compre aqui.

 

 

 

As crônicas de Elf Regnum

As Crônicas de Elf Regnum: O Despertar da Fênix – Marlon Souza

Gênero: Fantasia

Editora: Xeque-Mate

Sinopse: Uma fada lança uma profecia sobre o futuro de toda Elf Regnum. Sassas tem uma vida perfeita, e de um momento para outro toda sua inocência e esperança são perdidas. Em uma trama para usurpar o trono do rei, Eve se alia a ogros e reúne um grupo de elfos para marcharem até o Palácio Real, a fim de se tornar o novo Rei. Natan é príncipe e único herdeiro de Elf Regnum. Porém, presenciando as grandes proporções que uma súbita batalha está tomando, é obrigado a fugir junto de sua mãe. Mas, a fase mais importante de sua vida chegou, a maioridade élfica, onde seus talentos de manipulação começam a aparecer.  Sendo perseguido por elfos e ogros, precisa lutar pela sua vida. Até que algo surpreendente acontece e ele recebe o poder para revidar.  Conheça Elf Regnum e a saga da Fênix, juntamente com o seu despertar.

Compre aqui.

 

 

 

Insanidade

Antologia Insanidade – Vários autores

Gênero: Terror

Editora: Skull

Sinopse: A antologia INSANIDADE organizada pela Dark Queen Soraya Abuchaim e com prefácio de Cesar Bravo reúne inumeros contos assombrosos cheios de medo e sangue. As portas estão abertas, tem coragem de entrar em Santa Dimpna?

Década de 1950. Em uma cidade esquecida no interior do Acre, norte do Brasil, há um sanatório centenário que trata pacientes portadores das mais diversas doenças mentais. Em meio à construção de pedras cinzentas e geladas, sob o sol inclemente de um verão quente e eterno, escondem-se segredos capazes de assombrar as noites mais tranquilas.

Quartos transformados em celas, salas escondidas, laboratórios secretos, experimentos em humanos. O que acontece atrás daquelas paredes? Quem são os “doentes”? Quais suas histórias?

Médicos impiedosos, enfermeiras maléficas, gritos que cortam a noite escura.

Bem-vindo ao sanatório Santa Dimpna.

Compre aqui.

 

 

Segredos sombrios

Segredos Sombrios – Aurélio Simões

Gênero: Policial

Sinopse: Patrick Maia, o filho problemático da famosa apresentadora Maristela, é assassinado em um bar de encontros sexuais gay. A polícia inicia as investigações, mas não encontra uma pista sequer. Vinícius Maia, irmão da vítima, com o intuito de solucionar o caso, contrata Ítalo, um detetive particular. À medida que o detetive vai avançando nas investigações, revelações sombrias de pessoas próximas à vítima vão surgindo. Há um mistério que não quer ser revelado e vidas serão sacrificadas se for preciso. Seduzido por um mundo de luxúria, Ítalo precisará não só enfrentar um conflito de sexualidade como solucionar o caso mais instigante e perigoso de sua carreira.

Compre aqui.

 

 

 

Pérolas da minha surdez

Pérolas da Minha Surdez – Nuccia de Cicco

Gênero: Biografia

Editora: Metamorfose

Sinopse: Não-ficção, baseada na biografia da autora Nuccia De Cicco. Após o diagnóstico de surdez total irreversível aos 27 anos de idade, a autora narra como aprendeu a viver com a ausência do som: novas formas de comunicação, de percepção musical, de amar e de ver a vida. O livro busca ampliar o conhecimento sobre surdez na sociedade, apresentando o tema de forma leve e descontraída, com curiosidades, história, informações sobre tecnologias assistivas e indicações de outras biografias.

Compre aqui.

 

 

 

Sob o olhar obtuso da morte

Sob o Olhar Obtuso da Morte – Darlon Carlos

Gênero: Terror e suspense folclórico

Editora: Buriti

Sinopse: Segundo vários dicionários obtuso significa: “pessoa ou coisa rude; com pouca inteligência; bronco ou estúpido”. Isso que algumas pessoas irão pensar ao ver um anão de circo puxando uma carroça com um caixão dentro! Um esquife onde se encontra a única mulher que ele amou; porém que cometeu suicídio. O último desejo de sua mulher era ser enterrada em solo sagrado. Mas, como cometeu um pecado capital, todos os pedidos lhe foram negados. Agora ele se encontra em uma peregrinação para encontrar um lugar de descanso, para aquela que um dia foi sua amada. Por que ele não mente para os clérigos? Por qual motivo ele está se deparando, no caminho, com os mais famosos personagens do folclore brasileiro e internacional? Qual o motivo que levou um padre, com uma Winchester e uma Walther PPK, ir ao encalço dele? Todas as respostas estão nesse livro: ‘Sob o olhar obtuso da morte’. Leia e descubra que nem tudo que falaram para você sobre os mitos e folclores era mentira!

Compre aqui.

 

 

 

Diários de extermínio – a guardiã

Diários de Extermínio: A Guardiã – B.R. Peruzzo

Gênero: Fantasia

Editora: Skull

Sinopse: DESCUBRA, SOBREVIVA, DESEJE

O crepúsculo de todas as batalhas se dá nos momentos mais tenebrosos que existem. Assim como as noites mais obscuras, o mundo é um lugar sombrio, cheio de segredos.

Quando o universo estava afundando em seu momento de maior lástima, os Guardiões surgiram para trazer o alvorecer, a luz e a paz de volta ao universo, ao nosso mundo e à Terra.

Meu planeta natal, Zodark, foi destruído pela ganância de meu povo, e a Terra está prestes a ser destruída também, pelo mesmo motivo. Mas eu não permitirei.

Meu nome é Lilian Moore, eu sou uma Guardiã, a que salvará a Terra e Zodark.

Pelo menos é isso que eu espero!

A Guardiã traz uma história épica, cheia de ação, aventura e ficção, feita para agradar a todos os públicos.

Compre aqui.

 

 

 

Eu empre fui azul

Eu Sempre fui Azul – Lohran Rocha

Gênero: Romance

Editora: Skull

Sinopse: Muitos encaram a depressão de maneiras diferentes, alguns se escondem da sociedade mantendo-se em um quarto escuro. Paulo se inclui nessa classe de pessoas, mas diferente delas, seu quarto não é escuro, ele é Azul, assim como seus sentimentos.

Paulo tem 17 anos e após perder sua mãe e se distanciar de seu pai se encontra vivendo com seus avôs, a vida não é mais fácil, mas também não tão difícil como imaginou que seria, mesmo assim se aventurou no famoso, Baleia Azul. Prestes a cometer a sua última tarefa imposta por seu Curador, bem ao alto do Cristo Redentor, Paulo é interrompido por Alice Silva.

Seria Alice um milagre em sua vida? Seu surgimento foi pura coincidência ou totalmente intencional?

Compre aqui.

 

Mergulhe nestes livros e valorize a literatura nacional!

Categorias
Críticas GeekView

GeekView | Livro: O Senhor da Luz a Saga de Datahriun

Graciele Ruiz, Senhora da Luz e Deusa de Datahriun!

A autora do livro O Senhor da Luz – A Saga de Datahriun com certeza foi um diamante encontrado nesses turbilhões de pedras literárias de nosso tempo. O livro possui o perfil de um imaginário grandioso e mágico, rico em detalhes, suave para todas as idades; recomendado a ser uma boa leitura para as crianças. Hoje aos 25 anos, Graciele lançou-o aos 22 anos através do selo Novos Talentos da Editora Novo Século em 2014 e após dois anos relançou sua obra no selo Madras Teen pela Madras Editora. O livro é o primeiro de uma trilogia, e a apresentação de personagens vívidos, com raças exóticas e às vezes até extravagantes para alguns não deixa sem nota o peso narrativo inquestionável nos apegando a sequência de atos nas suas quase 300 páginas.

Um dos motivos principais na hora de dar vida com a escrita é a sua identificação óbvia com este tipo de literatura, lido na época muito do gênero. E também a gratificação da leitura adquirida nos remete à reflexão precisa sobre o uso literário, escrito e inspiratório vindo por parte da autora. A literatura a agradece por ser um diamante e oferecer vida aos seus leitores. Atualmente, escreve um romance, e o segundo volume da trilogia está previsto a sair ainda esse ano. Segue a sinopse do livro para nos dar conhecimento sobre o que nos espera nesta fantástica jornada pelo mundo esculpido nas mãos da Senhora da Luz. Eu só aviso: Alguns podem achar a leitura juvenil demais, porém para um infantojuvenil é até maduro demais.

 

 

“Lícia se sentiu muito sozinha quando o seu avô morreu, deixando uma chave e um pedido. Essa chave abria uma caixa muito poderosa, capaz de trazer de volta o equilíbrio de seu planeta: Datahriun. Porém, ela só poderia ser aberta por cinco chaves. A de seu avô era somente uma delas, e seu pedido era para que Lícia as reunisse e encontrasse os seus guardiões. Desse modo, eles poderiam fazer o que ninguém havia feito antes. Uma história sobre sonhos e perseverança, envolvendo batalhas, amores e grandes amizades. Uma saga insana pela recuperação de Datariun, onde vivem criaturas misteriosas com poderes fantásticos. Um lugar onde a magia é somente o começo!” (Graciele Ruiz)

 

Categorias
Filmes e Series

Filme russo com Jackie Chan e Arnold Schwarzenegger tem novas imagens

O THR divulgou fotos de Viy-2, produção russa de fantasia que tem Jackie Chan e Arnold Schwarzenegger no elenco:

No mercado internacional, o filme se chamará Mystery of the Iron Mask: Journey to China. Na trama, Jason Flemyng vive o viajante Jonathan Green, que recebe de Pedro, o Grande, a missão de mapear o Leste da Rússia, junto ao território chinês, onde ele encontrará criaturas bizarras, princesas e mestres de artes marciais.

Com estreia prevista para 2017 na Rússia, Viy-2 é a continuação de um sucesso local nas bilheterias, de 2014. Oleg Stepchenko dirige a continuação, que ainda tem no elenco ocidental nomes como Rutger Hauer Charles Dance.

via Omelete