Como fica o MCU após Quantumania?

Lançado na última quinta (16), Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania (2023) deu o pontapé inicial da Fase 5 do MCU (Universo Cinematográfico Marvel) e introduziu Kang (Jonathan Majors), a nova grande ameaça a ser combatida pelos Vingadores. A chegada do novo vilão também sugere uma nova guerra que deverá culminar no vindouro Vingadores: Dinastia Kang, quinto filme que reunirá os intitulados Heróis Mais Poderosos da Terra.

[Cuidado: spoilers de Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania abaixo]

Como esperado, Quantumania apresentou a variante mais ameaçadora do novo vilão. Kang, o Conquistador é um personagem tão poderoso quanto Thanos (Josh Brolin) e promete muita dar dor de cabeça para os Vingadores no futuro. Contudo, nem todos os próximos filmes da Marvel serão focados no multiverso.

Kevin Feige, chefão do Marvel Studios, intitulou a soma das fases 4, 5 e 6 do estúdio como a Saga do Multiverso. A nomenclatura não é novidade no MCU, já que as fases 1 a 3 formaram a Saga do Infinito. Assim como Thanos foi o grande vilão da primeira saga, Kang será o principal antagonista da segunda.

Após a estreia de Quantumania, no entanto, ainda não é possível delinear qual será o caminho a ser seguido pelo MCU. Isso porque o longa, apesar da introdução de Kang, não deixou claro qual de suas variantes (ou mais de uma) será de fato o grande vilão da nova saga.

Na primeira cena pós-créditos de Homem-Formiga 3, três variantes de Kang decidem reunir milhares de outras versões do antagonista para discutir o que fazer sobre os Vingadores. Eles temem que pessoas consideradas inferiores a eles estejam aprendendo a lidar com o conceito de multiverso, além de terem derrotado outras duas variantes do vilão. Desta forma, o longa indica que um ou mais Kangs irão se opor aos heróis.

A segunda cena pós-créditos revelou que Loki (Tom Hiddleston) e Mobius (Owen Wilson) vão perseguir uma variante de Kang na segunda temporada de Loki, mas poucos detalhes sobre a trama dos novos episódios foram revelados pelo estúdio. A falta de informações e a ausência de maiores conexões entre os filmes da Fase 4 tornam o futuro do MCU nebuloso e pouco previsível.

O caminho para o futuro

O calendário de estreias das próximas produções da Marvel também não ajuda na construção do “mapa do futuro” do MCU. Feige já afirmou que, assim como nem todos os filmes da Saga do Infinito foram sobre Thanos ou as Joias do Infinito, o mesmo acontecerá com os títulos da Saga do Multiverso. Ou seja: não esperem variantes de Kang ou outras versões de heróis vindas de realidades paralelas em todos os vindouros longas e séries do estúdio.

Com lançamento previsto para maio deste ano, Guardiões da Galáxia Vol. 3 terá como vilões o Alto Revolucionário (Chukwudi Iwuji) e Adam Warlock (Will Poulter). Com dois grandes protagonistas, é improvável que Feige tenha encontrado uma maneira de introduzir Kang na narrativa. Ainda mais pelo fato de o longa servir como o encerramento da trilogia comandada por James Gunn, que promete marcar a despedida de alguns dos integrantes originais da equipe.

Já The Marvels, cuja estreia foi adiada para novembro deste ano, mostrará Carol Danvers (Brie Larson), Kamala Khan (Teyonah Parris) e Monica Rambeau (Iman Vellani) se unindo para enfrentar uma ameaça em comum. Tal ameaça, contudo, terá ligação com as raças alienígenas Kree e Skrull, que nada têm a ver com as origens de Kang. Desta forma, o vilão só poderia fazer parte da narrativa se o longa o colocasse como alguém movendo os pauzinhos nos bastidores –assim como fazia Thanos nos primeiros filmes do MCU.

Após The Marvels, o primeiro filme da Marvel a chegar aos cinemas em 2024 será Capitão América: Nova Ordem Mundial. Com Sam Wilson (Anthony Mackie) assumindo o escudo e a antiga identidade de Steve Rogers (Chris Evans), o longa já tem um vilão confirmado. Ele será Samuel Sterns/Líder, personagem vivido por Tim Blake Nelson e que foi introduzido em O Incrível Hulk (2008) –ou seja, muito antes do MCU apresentar Thanos ou Kang.

Como todos os filmes do Capitão América tiveram narrativas centradas na Terra e sem vilões intergalácticos ou de outro universo, é improvável (mas não impossível) que o longa introduza de alguma forma outra variante de Kang. Nem mesmo a série Invasão Secreta, prevista para estrear no Disney+ até o fim de 2023, deve utilizar o vilão na narrativa. Isso porque os grandes vilões da atração serão os alienígenas Skrull, o que faz da produção interligada diretamente com The Marvels.

Embora pouco claro, o futuro do Universo Marvel culminará nos filmes-eventos Vingadores: Dinastia Kang e Vingadores: Guerras Secretas. Independentemente de Kang aparecer em mais produções do MCU ou ficar como uma sombra pairando sob a cabeça dos heróis, ele será o responsável por trazer o caos de volta à Terra e colocar em xeque o destino de toda a humanidade. Se os longas forem minimamente fiéis aos quadrinhos, os fãs podem aguardar a ameaça mais sombria a encarar os Vingadores até agora.



Fonte: UOL Cinema

4 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *