‘Urso do Pó Branco’ recebe 100% de aprovação no Rotten Tomatoes

Filme inspirado em uma história real surpreende no Rotten Tomatoes dias antes da estreia

O filme O Urso do Pó Branco, sobre a história real de um urso que morreu de overdose de cocaína, recebeu 100% de aprovação no Rotten Tomatoes.  Até o momento, o filme recebeu cinco avaliações de críticos no site. Confira abaixo alguns dos reviews:

“Uma comédia de ação divertida e conscientemente cafona” – jimschembri.com.

“Uma comédia de terror caótica e razoavelmente divertida” – Fiction Horizon.

“Um filme que sabe exatamente o que é e que oferece 95 minutos de pura diversão” – The Jam Report.

Vale ressaltar que a nota pode variar nas próximas semanas conforme recebe novas análises no site. O filme estreia no dia 9 de março nos cinemas. Confira o trailer abaixo: 

+++ LEIA MAIS: O Urso do Pó Branco: Qual é história real do filme?

Mais sobre O Urso do Pó Branco 

Filme dirigido por Elizabeth Banks, conta a história de um urso que, após consumir cocaína, passou a aterrorizar a população local. A droga teria caído de um avião, após uma missão fracassada de um traficante.

Embora soe absurda, a história é embasada em acontecimentos verdadeiros – claro, com algumas alterações fundamentais. Em 1985, moradores do estado da Geórgia começaram a procurar pacotes de cocaína avaliados em US$ 20 milhões perdidos na floresta de Chattahoochee-Oconee.

+++ LEIA MAIS: Blood and Honey: filme sangrento com Ursinho Pooh ganha trailer

A principal diferença, no entanto, está no comportamento do urso. No longa-metragem, o animal torna-se violento e começa a atacar humanos que procuravam os pacotes deixados na região – em mistura de comédia e drama. Os impulsos são motivados pelo desejo de consumir mais cocaína.

Na realidade, o urso foi encontrado morto, sem relatos de violência contra moradores, após overdose da droga. Conforme relatos dos policiais feitos na época do ocorrido, o urso provavelmente comeu os pacotes. Além disso, sua morte foi rápida, como nenhum mamífero sobreviveria à quantidade ingerida.

Fonte: UOL Cinema

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *